quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Mais uma da série: E se fosse no Brasil?

Ontem à noite vimos pela TV algo bastante inusitado acontecer em um jogo de tamanha importância (ou que pelo menos deveria ter tamanha importância): a partida ser cancelada devido a falta de energia para os refletores do estádio. Brasil e Argentina, duas das maiores potências do futebol mundial em um encontro caseiro da tal Copa Roca, para movimentar os jogadores locais de cada seleção e pimba: nada de luz.
Imagino (só imagino, pois deve ser muita grana) a quantidade de recursos envolvidos em promover um jogo desses: negociação com clubes e janela nos campeonatos locais, transporte dos times até a cidade do jogo, torcedores que deixaram suas casas, suas cidades, estados e até país para os brasileiros que foram ver a canarinho jogar e pimba: nada de luz.
Chegou-se ao cúmulo de Casa Grande sugerir ignorar-se a opinião dos goleiros para que se seguisse com a partida. Mas, como ver a bola sem iluminação adequada? Ainda mais em um jogo de tamanha importância (ou que pelo menos deveria ter tamanha importância).
Para não perder a piada, levaram o jogo para a cidade de Resistencia, que, na hora H, queimou!
Ah, voltando à motivação do post: e se fosse no Brasil? Certamente colocariam até o mensalão dentre os motivos para a falta de luz no estádio... ops! Isso é coisa para outro tipo de blog e não este.
Mas, o que me preocupa mesmo é a tamanha sensação de "desimportância" em relação a um jogo entre Brasil e Argentina. E, pior, a "desimportância" sendo essencialmente unilateral. E isso às vésperas do país sediar uma Copa do Mundo. Será que a CBF não enxerga isso? Ou vê apenas as cifras nos próprios cofres?

Um comentário: