sábado, 15 de setembro de 2012

Jorginho é o anti-Joel

PVC conta os bastidores da recusa de Jorginho em deixar o Bahia e assumir o Palmeiras. Leia aqui

Em janeiro desse ano, o Bahia passou por um assédio semelhante ao seu então técnico, Joel Santana, que culminou com sua ida ao Flamengo. Joel não era unanimidade entre a torcida mas vivia uma situação estável dentro do clube: acabara de salvar o Bahia do descenso no Brasileirão-2011 e iniciava sua caminhada no campeonato estadual. Resolveu aceitar a proposta do Flamengo e depois todos sabem o final da história.

O contrato de Joel não tinha multa e ele se foi pela projeção que o rubro-negro carioca lhe daria. Acabou lhe dando muito mais dor de cabeça.
O contrato de Jorginho também não tem multa e ele também ficou tentado em assumir o Palmeiras pelos mesmos motivos de Joel. No entanto, deixou nas mãos de seu empregador a decisão em liberá-lo, o que não ocorreu. Ainda assim, foi-lhe concedido o direito de sair exclusivamente por sua vontade, desde que assumisse publicamente isso. Ele preferiu ficar e honrar o compromisso assumido.

Joel com certeza teve mais projeção e visibilidade ao assumir o Flamengo, ganhou mais dinheiro, ainda que por um tempo curto. Hoje, está desempregado e com certeza sofreria rejeição da torcida do Bahia se fosse convidado para voltar (algo sempre possível dada a falta de vergonha na cara da cartolagem em geral).
Jorginho abre mão de tal projeção em troca de um sono tranquilo e de poder passar férias sossegado na Bahia sempre que quiser. Deve ter passado pela sua cabeça também que foi o Bahia quem lhe estendeu a mão quando estava sem clube, há menos de 1 mês, e, que se falhasse no desafio de salvar o Verdão do rebaixamento, provavelmente no fim do ano estaria junto com Joel na fila do seguro desemprego.

Jorginho, dessa forma, segue seu bom trabalho no tricolor baiano e torce para que ao final do vínculo (fim do ano) possa realizar seu desejo de assumir o Palmeiras, onde faria um trabalho desde o início, com mais chances de sucesso, seja na série A ou B. Se isso ocorrer, realizará seu desejo deixando as portas do Bahia abertas. Se não, seguirá bem empregado no Tricolor da Boa Terra, seja na série A ou B.

Riscos calculados, riscos assumidos. A torcida do Tricolor de Aço agradece.


Um comentário:

IGOR PESSÔA disse...

Excelente pro Bahia!